Pesquisar
Close this search box.

O Couro é Essencial para a Economia Circular: 13 Motivos

O couro é essencial para a economia circular: 13 motivos

O Couro é Essencial para a Economia Circular: 13 Motivos

O couro é essencial para a economia circular sobretudo porque ele recicla e enobrece as peles verdes provenientes das indústrias de carne e laticínios.

A partir do produtor, ou pecuarista, inicia-se uma cadeia de valor que envolve frigoríficos, curtumes, indústrias como a da moda, mobiliário, automotiva, calçados e artefatos, e se estende para o varejo, uso e reparo, novas reciclagens e compostagem.

“O couro é um subproduto. E quanto mais o usamos, mais desperdício evitamos, demonstrando o papel essencial do couro na economia circular.”

 

O volume do mercado de couro no mundo

Por outro lado, segundo o site GlobeNewsWire, no artigo Análise do tamanho e da participação do mercado de artigos de couro – Tendências de crescimento e previsões, “espera-se que o mercado de artigos de couro cresça de US$ 292,23 bilhões em 2023 para US$ 360,70 bilhões até 2028, com um CAGR (sigla em inglês para taxa de crescimento anual composta) de 4,30% durante o período de previsão – 2023-2028).

Assim, temos duas ordens de fatores – a sustentabilidade da indústria do couro expressa em sua circularidade e o volume exponencial dessa indústria, em escala global.

O ponto de encontro entre esses dois polos recai sobre a demanda crescente de observância dos critérios ESG e dos ODS por parte dos atores da cadeia produtiva do couro, como resultado da influência de amplos setores de um público consumidor cada vez mais consciente de suas responsabilidades na preservação do meio ambiente.

Justamente é o papel essencial do couro para a economia circular que possibilita tanto a reflexão quanto a mobilização concreta dos meios para minimizar o impacto ambiental.

 

O couro é um subproduto. E quanto mais usamos, mais desperdício economizamos, demonstrando o papel essencial do couro na economia circular

 

O Couro é Essencial para a Economia Circular: a Durli e os 13 motivos pelos quais o couro é uma escolha eco-friendly

O compromisso da Durlicouros com a sustentabilidade, a economia circular e com os princípios ESG é inquestionável e reconhecido através de certificações como LWG Gold e ISO 9001.

Os 13 motivos pelos quais o couro é uma escolha eco-friendly são a expressão desse compromisso. Baseiam-se na economia circular, na sustentabilidade e estão presentes em todas as ações da Durli, desde o contato com os fornecedores até cada entrega feita aos clientes.

 

Os 13 motivos e porque o couro é essencial para a economia circular

 

1 – Uso de matérias-primas renováveis 

Em primeiro lugar, por que o gado é considerado como matéria-prima renovável? Alguns fatores respondem a essa pergunta:

  • Manejo e criação – as modernas técnicas de pecuária para manejo e criação visam otimizar a reprodução e o crescimento de gado, além de contribuir para a saúde e o bem-estar dos animais;
  • Aproveitamento integral – praticamente tudo no bovino pode ser reaproveitado, permitindo à indústria pecuária gerar diversos produtos de valor a partir de um único animal, otimizando o uso de recursos e minimizando o desperdício.

Portanto, a indústria do couro, por sua própria natureza, baseia-se em um bem renovável e este é o ponto de partida para todos os 13 motivos.

 

2 – Uso de peles verdes, matéria-prima natural, biológica, advinda dos setores de carne e laticínios, que se não utilizada pelos curtumes na produção de couro com valor agregado, se transformariam em resíduos nocivos causando problemas sanitários e ambientais. 

Assim, esse fator se relaciona com o primeiro dos 13 motivos.

Segundo o site Real Leather, no artigo O couro é realmente um subproduto?, “300 milhões de couros vêm das indústrias de carne e laticínios em todo o mundo a cada ano.”

Assim, a fabricação moderna de couro poupa aos aterros sanitários mais de 7,5 milhões de toneladas de resíduos anualmente, transformando-os em bens utilizáveis e duráveis, ao invés de se decomporem produzindo gás metano. Isso evita 2,7 milhões de toneladas de emissões de gases que causam o efeito estufa.

O aproveitamento das peles verdes na produção de couro com valor agregado gera benefícios para todos os envolvidos na cadeia produtiva do couro.

Por sua vez, o couro, produzido a partir da reciclagem da pele animal, é um material natural com uma contagem de carbono biogênico de mais de 80% e possui inúmeras vantagens, como veremos ao longo deste artigo.

 

3 – O couro é um material durável, por gerações. 

Felizmente, mais e mais pessoas aderem ao princípio “comprar uma vez, comprar bem”.

Sem dúvida, o couro responde a essa demanda porque se destaca como um material excepcionalmente durável. Com os devidos cuidados, os produtos em couro passam de geração em geração, conservando-se em relação a qualidade, funcionalidade e aparência nobre.

Além disso, com sua durabilidade, os artigos produzidos em couro dispensam substituições. Essa vantagem se traduz em economia de recursos e redução de desperdício.

Reconhecidamente, o couro é resistente aos desgastes e sua longevidade é comprovada:

  • Possui alta resistência à abrasão, rasgões e cortes, suportando o uso intenso por longos períodos;
  • Sua resistência natural a intempéries o torna ideal para produtos expostos ao sol, chuva e outros elementos.

Evidentemente, alguns cuidados são de grande utilidade para a conservação de artigos em couro:

Limpeza – limpe o couro regularmente com um pano úmido e macio, use um sabão neutro ou um produto específico para limpeza de couro, se necessário; evite o uso de produtos abrasivos, como detergentes e alvejantes; seque o couro completamente após a limpeza com um pano seco e macio;

Hidratação – hidrate o couro periodicamente com um hidratante específico para couro. Isso ajudará a mantê-lo macio e flexível, evitando rachaduras e descamação;

Armazenamento – guarde seus artigos de couro em local fresco, seco e arejado, priorizando embalagens de tecido para facilitar sua respiração; pendure as roupas em cabides de madeira largo, de preferência acolchoados;

Manuseio – evite carregar objetos pesados em bolsas e mochilas de couro e tenha cuidado com objetos pontiagudos que podem arranhar o couro.

 

4 – Produtos feitos de couro são biodegradáveis; descartados, decompõem-se em 25 a 45 anos no ambiente, e em 10 a 15 anos nos aterros. 

Erroneamente, o couro é muitas vezes considerado um material prejudicial ao meio ambiente. No entanto, é muito mais sustentável do que se imagina.

Exemplificando, uma de suas principais vantagens é ser biodegradável. Ao final de sua vida útil, decompõe-se naturalmente, retornando ao meio ambiente de diversas formas.

  • O couro é composto por proteínas e outras moléculas orgânicas que são facilmente decompostas por microrganismos presentes no solo e na água.
  • Esse processo natural de decomposição libera nutrientes de volta ao solo, contribuindo para a fertilidade e a saúde do meio ambiente.
  • Por fim, ao ser compostado, pode se tornar adubo para a terra, alimentando o gado com a grama que cresce.
 

A Durli produz seus couros através de processos de impacto positivo ao meio ambiente.

 

5 – Produtos de couro são altamente reparáveis, podem ser reutilizados e ainda reciclados. 

Com efeito, essa característica pode ser acrescentada à durabilidade, pois os produtos em couro são facilmente reparáveis e restaurados, evitando o descarte prematuro e a provável compra de novos.

Mais do que isso, esses produtos podem ser reciclados e dar origem a novos artigos. Sofás e assentos de carro podem se transformar em bancos, mesinhas, joias, estimulando a criatividade de artesãos e designers, que exploram toda a versatilidade desse material.

Em resumo, o fato de produtos em couro serem reparáveis, reutilizáveis e recicláveis, reforça como o couro é essencial para a economia circular:

  • Sustentabilidade – reduz o consumo de recursos naturais, a geração de resíduos e a emissão de gases que causam o efeito estufa.
  • Economia – reparação e reciclagem são alternativas mais econômicas do que a compra de novos produtos.
  • Criatividade – estimula a criatividade de artesãos e designers na criação de produtos inovadores.
  • Conscientização: Promove o consumo consciente e a responsabilidade ambiental.
 

6 – Marcas e curtumes têm a opção de produtos químicos mais ecológicos no processo de fabricação. 

A utilização de produtos químicos mais ecológicos no processo de fabricação de artigos em couro contribui para a preservação do meio ambiente, proporciona mais segurança para os trabalhadores e fideliza os consumidores preocupados com sustentabilidade.

De forma similar, essa é uma tendência crescente na indústria do couro. As marcas e curtumes comprometidos com a sustentabilidade estão buscando alternativas mais ecológicas para cada etapa da produção.

Embora o cromo continue sendo o principal curtidor, a indústria desenvolve novas tecnologias para reduzir a quantidade de uso de produtos químicos e até mesmo investe em reutilização e reuso em sistemas fechados.

Com o mesmo objetivo, adotam-se modernas estações de tratamento desses efluentes.

Esse é o caso da Durlicouros. De todo o cromo utilizado nos seus processos de curtimento, sobram apenas 5%, que são corretamente destinados para os aterros de resíduos industriais perigosos – ARIPs – seguindo a legislação nacional, regulamentados e auditados.

 

7 – O couro está alinhado com o consumo e a produção responsável, apoiando assim os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU. 

A indústria do couro está comprometida com a sustentabilidade e atua cada vez mais intensamente para reduzir seu impacto ambiental e melhorar as condições de trabalho de seus colaboradores.

Entretanto, esse não é um movimento isolado. A própria ONU coordena o esforço mundial para que todos os setores e países se comprometam com a defesa do meio ambiente e um futuro sustentável para toda a população do planeta.

Dessa forma, elaborou os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ODS – os quais complementam os princípios conhecidos como ESG – da sigla em inglês que corresponde a Ambiental, Social e Governança.

Com o intuito de incentivar a aplicação desses objetivos e princípios, existem selos e certificações concedidos a empresas que, comprovadamente, os colocam em prática. Para a indústria do couro, a certificação internacionalmente reconhecida é a Gold Rate da LWG.

Como exemplo, temos a Durlicouros, cujo compromisso com a sustentabilidade foi mencionado anteriormente. Vejamos em seguida a quais objetivos corresponde a certificação obtida pela Durli:

Objetivo 3 – Boa saúde e bem-estar

Objetivo 6 – Água potável e saneamento

Objetivo 8 – Trabalho decente e crescimento econômico

Objetivo 12 – Consumo e produção responsáveis

Objetivo 14 – Vida na água

Objetivo 15 – Vida terrestre

Objetivo 17 – Parcerias e meios de implementação

O artigo ESG na Indústria do Couro: Como estamos alinhados com os Objetivos Sustentáveis trata deste tema com profundidade.

 

8 – O uso do couro contribui para a luta contra a poluição marinha, também parte dos ODS.

Atualmente, a poluição marinha é um dos problemas globais mais graves, com sérias consequências para o meio ambiente e para a saúde humana.

Em consequência do descarte inadequado de resíduos, especialmente os plásticos, assistimos à degradação dos oceanos e à morte de animais marinhos. Como resultado da decomposição de componentes plásticos, surgem os microplásticos que tanto mal causam aos animais e acabam entrando na cadeia alimentar, chegando até a dieta humana.

“6 informações chocantes sobre o plástico no meio ambiente” é o titulo de um artigo do SEBRAE que aborda questões fundamentais sobre os efeitos do plástico no meio ambiente:

  • Esses materiais se proliferam nos lixões a céu aberto, contaminando a água dos rios e lençóis freáticos, o que compromete a nossa saúde;
  • Até 2050 haverá mais plástico nos oceanos do que peixe;
  • O plástico é responsável pela morte de 100 mil animais marinhos a cada ano.

Nesse contexto, a indústria do couro tem uma grande contribuição a dar. Assim como vimos anteriormente, ele é um material biodegradável, durável, reciclável e, dessa forma, contribui para a redução dos resíduos plásticos nos oceanos.

O principal ODS relacionado a esse item é:

ODS 14 – Vida na Água: Conservar e promover o uso sustentável dos oceanos, dos mares e dos recursos marinhos para o desenvolvimento sustentável.

 

9 – A indústria do couro abre caminhos para a economia circular para empresas de todos os tamanhos, incluindo milhares de pequenas e médias empresas. 

Aqui vemos como o couro é essencial para a economia circular. Desde a origem de sua matéria-prima até a volta à natureza ao final de sua vida útil, o couro completa um círculo virtuoso.

É o eixo de uma cadeia produtiva que se inicia com os produtores e envolve curtumes, frigoríficos, indústrias diversas como as de gelatina, pincéis, vassouras, vestuário, mobiliário, calçados e artefatos de couro.

Mas a reciclagem estende essa rede, como vimos anteriormente, e inclui milhares de pequenas e médias empresas, artesãos e diversos artistas. Cria empregos e promove o desenvolvimento sustentável.

Cadeia produtiva do couro

 

10 – O couro de origem responsável atende ao desejo dos fabricantes de utilizar matéria-prima biológica degradável transformando-a em produto nobre de longa duração. 

Hoje, o couro de origem responsável é uma demanda crescente entre os fabricantes de produtos acabados que desejam materiais sustentáveis para as suas produções.

Essa tendência é impulsionada por diversos fatores, como:

Consciência ambiental

  • Consumidores estão cada vez mais conscientes do impacto ambiental da produção de bens de consumo e buscam produtos que sejam ecologicamente corretos.
  • A utilização do couro de origem responsável demonstra o compromisso das empresas com a sustentabilidade e contribui para a construção de uma imagem positiva junto ao público.


Regulamentações e legislações

  • Governos em todo o mundo estão implementando regulamentações e legislações que visam reduzir o impacto ambiental das empresas.
  • O couro de origem responsável pode auxiliar as empresas a cumprir essas normas e evitar multas e sanções.
Como a Durlicouros garante a origem responsável dos couros que produz 

A Durlicouros é pioneira em rastreabilidade individual de sua matéria-prima, monitorando cada peça desde a sua origem.

Há mais de 10 anos, a Durli implantou um sistema de geomonitoramento com o objetivo de supervisionar e verificar diariamente, com imagens de satélite, o cumprimento de critérios socioambientais pelos frigoríficos fornecedores e fazendas diretas e indiretas.

Ao aliar o sistema de geomonitoramento à rastreabilidade do couro individualmente, a Durlicouros garante que seus clientes realmente comprem couros oriundos de áreas social e ambientalmente legais.

 

11 – Produtos acabados feitos de couro em conformidade socioambiental atenderão aos critérios sustentáveis e para exercícios de compras responsáveis. 

Para atender aos critérios de compra sustentável, a empresa precisa conhecer a origem de suas matérias-primas e como são produzidas, porém essa afirmação também pode valer para os consumidores.

As compras responsáveis são realizadas por empresas que buscam:

  • Reduzir seu impacto socioambiental;
  • Contribuir para um futuro mais sustentável e ético;
  • Apoiar outras empresas que se comprometem com práticas responsáveis.

A crescente demanda por produtos sustentáveis e éticos impulsiona a necessidade de conformidade socioambiental em toda a cadeia de produção.

Em relação aos produtos acabados, essa conformidade se traduz em garantir que os produtos:

  • Atendam aos critérios socioambientais durante sua produção, desde a origem das matérias-primas até a distribuição final.
  • Sejam compatíveis com os princípios de compras responsáveis, realizados por empresas e consumidores conscientes.


Critérios Socioambientais:

Os critérios socioambientais abrangem diversos aspectos, como:

Materiais – uso de materiais reciclados, biodegradáveis, de origem responsável e com certificações de sustentabilidade; eliminação de substâncias perigosas e nocivas à saúde humana e ao meio ambiente;

Processo produtivo – eficiência energética e hídrica; minimização de emissões e resíduos; condições de trabalho seguras e dignas, com respeito aos direitos dos trabalhadores.

Distribuição e logística – minimização da pegada de carbono e otimização das rotas de transporte; embalagens ecológicas e biodegradáveis.

 

12 – A fabricação de couro apoia compromissos de emprego em empresas responsáveis e ligadas aos princípios ESG, destinado a preservar a qualidade ambiental. 

Os fabricantes de produtos em couro, comprometidos com os princípios ESG, estão inovando e transformando o setor.

Inquestionavelmente, a adoção dos princípios ESG na produção de couro assegura benefícios para todos os envolvidos na cadeia produtiva e nas três dimensões da sigla.

Em outras palavras, preservar o meio ambiente, oferecer melhores condições de trabalho aos trabalhadores e exercer a boa governança devem ser colocados em prática de forma articulada e não isolada.

O futuro da indústria do couro reside na sua capacidade de equilibrar a viabilidade econômica com a aplicação dos princípios ESG. Como a indústria continua a inovar e evoluir, a sustentabilidade continuará a ser um foco fundamental, moldando tanto a produção quanto o consumo de couro.

Concluindo, a fabricação de couro, quando realizada de forma responsável e comprometida com os princípios ESG, pode ser um agente de transformação social e ambiental.

De acordo com a WWF, dado o status do couro como um bem de luxo e sua associação com a qualidade, a pressão do consumidor e a conscientização sobre práticas sustentáveis são altas.

Com esse propósito, as empresas de couro e seus clientes possuem uma alavanca única que pode ser usada para promover a proteção tanto do meio ambiente quanto do ser humano.

 

13 – O couro evita que toneladas de produtos oriundos do petróleo sejam descartados na natureza.

Conforme o ensaio Couro: material de origem natural com características Inimitáveis, “o couro é um material de origem natural que sempre se tentou imitar, sobretudo pelas suas características de versatilidade, durabilidade e conforto na utilização”.

E a mesma fonte acrescenta que “os materiais de imitação, com base em investigações realizadas revelaram-se, em muitos casos caracterizados por substâncias artificiais de mesma natureza química; em muitos outros casos, porém, são constituídos por múltiplas camadas de materiais sintéticos coladas entre si e também acopladas a fibras de couro”.

Efetivamente, as imitações de couro podem até conter substâncias naturais como algodão, cogumelos, abacaxi ou borracha natural, mas têm como base a utilização de produtos petroquímicos com seus efeitos negativos ao meio ambiente – pegada de carbono e liberação de produtos químicos tóxicos.

O termo “greenwashing” refere-se à prática de empresas ou organizações que tentam apresentar uma imagem de produto ambientalmente amigável ou responsável, muitas vezes exagerando ou distorcendo as características ambientais reais. Ainda que a mídia o divulgue amplamente, as imitações de couro contêm de fato em sua composição, PU ou PVC, oriundos de combustíveis fósseis. Sua produção contribui para a crise climática e a poluição gerada prejudica nossos ecossistemas. Atualmente não existe um sistema em vigor para reciclá-los. Assim, eles acabam em aterros sanitários onde levam até 400 anos para começar a se decompor na natureza, liberando microplásticos nocivos e produtos químicos tóxicos e prejudiciais ao meio ambiente e ao ser humano à medida que se decompõem.

Especificamente em relação ao couro natural, no entanto, é imperioso retomar todo o caráter de sustentabilidade inerente a ele, milenarmente presente na história das mais diversas culturas em todo o mundo, frente às incompreensões sobre o verdadeiro caráter não ecológico das assim chamadas alternativas ao couro, “couro vegano” ou “couro sintético”, ocorridas devido ao grenwhashing. Esses materiais não tem a longevidade, durabilidade e compostabilidade natural do couro verdadeiro.

Notadamente, o greenwashing ainda ganha muito espaço. Segundo o site Is it leather?  existe muita falta de clareza na divulgação da verdadeira composição dessas alternativas ao couro verdadeiro. Para corroborar suas afirmações, citam o Leather and Hide Council of America e defendem que a palavra “couro” não seja usada para promover confusamente um produto sintético.

Ressalta-se ainda que o plástico no meio ambiente também pode dificultar a decomposição de outros resíduos, reforçando ainda mais a superlotação dos aterros sanitários.

 

 

A Durlicouros, os 13 motivos e como o couro é essencial para a economia circular – Conclusão

Para a Durli, o couro é mais do que um material nobre.

Com esse intuito, entrega ao mercado couro produzido com geomonitoramento e rastreabilidade individual, sabendo que a origem responsável de sua matéria prima terá influência direta na cadeia produtiva porque o couro é essencial para a economia circular. De sua qualidade depende a qualidade dos demais artigos e produtos.

Por essa razão está sempre buscando novas tecnologias para tornar o processo de curtimento cada vez mais responsável e em conformidade socioambiental.

Ao mesmo tempo, investe em pesquisa e desenvolvimento de novos produtos como o couro Bio-Leather, cujo tempo de volta à natureza é de 6 meses a um ano, graças aos produtos já biodegradáveis empregados em seu processo de pré-curtimento, curtimento e recurtimento.

Entre em contato com a Durlicouros e descubra como a sua empresa também pode se beneficiar com os 13 motivos pelos quais o couro é uma escolha eco-friendly.

 

Fontes e referências utilizadas

1 – https://www.globenewswire.com/news-release/2023/08/17/2727439/0/en/Leather-Goods-Market-Size-Share-Analysis-Growth-Trends-Forecasts-2023-2028.html

2 – https://chooserealleather.com/sustainability/fact-check-is-leather-really-a-by-product/

3 – https://isitleather.com/blog/sustainable-eco-friendly-leather-industry-future/

4 – https://www.one4leather.com/article/5-reasons-why-leather-car-interiors-are-the-sustainable-choice

5 – https://isitleather.com/blog/sustainable-eco-friendly-leather-industry-future/

6 – https://www.worldwildlife.org/publications/leather-also-has-a-role-to-play-in-the-fight-against-deforestation

7 – https://abqtic.com.br/biblioteca-virtual/

8 – https://www.sp.senac.br/blog/artigo/plastico-no-meio-ambiente

Compartilhe esse artigo:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Durlicouros

A empresa, com mais de 60 anos de história, é reconhecida por sua excelência e tradição na indústria de couro. Atua como fornecedor global de wet blue, crust e acabado de alta qualidade para os setores automotivo, de mobiliário e calçadista.

+ 55 (41) 3306-1300